HISTÓRIA

Em meados de 2006, na sequência de projetos de operadores de telecomunicações nacionais, os atuais sócios com especializações na área da engenharia eletrónica, detetaram uma oportunidade de negócio na lacuna existente no mercado da assemblagem de componentes óticos. Na altura, as empresas nacionais viam-se forçadas a recorrer à importação de cabos óticos. Este foi o impulso de que careciam para dar asas a um projeto ao qual, já naquela altura, se augurava um grande futuro.
Após investigação, formação na área e um estudo de mercado alicerçado no contacto direto com os potenciais clientes, surgiu o projeto Optilink.
A Optilink, Lda. foi constituída a 19 de fevereiro de 2007, tendo como objeto principal a Assemblagem de Componentes Óticos. Em setembro de 2013, a Optilink passa a ter como atividade secundária a Construção e Manutenção de Redes de Telecomunicações e Projeto.
Desde então, a sua evolução tem sido evidente aos mais variados níveis:

Instalações:
Do aluguer das instalações iniciais (com 60 m2) em 2007, para a aquisição em 2009, de instalações próprias (com 600 m2), e os atuais 900 m2 sitas na Zona Industrial da Formiga, em Pombal.

Equipamentos:
Do investimento inicial à atividade proposta, fazia parte a aquisição de bancadas técnicas e máquinas adequadas para a assemblagem e teste de conectores aos cabos de fibras óticas, nomeadamente a conetorização, polimento, microscópio e equipamentos de teste.
Ao longo dos anos, a Optilink, tem vindo não só a aumentar a quantidade dos equipamentos acima descritos, como também adquiriu equipamento de laboratório map 200, sistema de marcação a laser de fibras, plataforma de testes, OTDR’s e interferómetro.

Clientes:
De 2007 até inícios de 2008, a Optilink trabalhou em exclusivo para o fornecimento de pigtails e patchcords para a Telcabo. Após este período, a capacidade de resposta demonstrada, associada à qualidade dos produtos produzidos, potenciou o estabelecimento de novas parceiras. À data de hoje, destacam-se como principais clientes: Telcabo; Arestel; Novabase IMS; PHBP Eletrónica; PT Inovação; PT Comunicações; PDT – Projetos de Telecomunicações; Ampernor; Eurico Ferreira; R&M Portugal e TEKA.

Recursos Humanos:
Dos 3 elementos que iniciaram o projeto, a Optilink conta hoje com mais de cinquenta colaboradores.